Variedades Femininas

Aqui se fala do universo feminino

Sobre amor, apego e violência.

em 11 de maio de 2015

Um dos maiores obstáculos de nossas vidas é o apego, e não nos apegamos só as coisas, mas também as experiências. Nos relacionamentos afetivos não seria diferente, nos apegamos as nossas experiências. Tenho refletido muito sobre o assunto, pois muitas vezes me reúno com um grupo de amigas: todas mulheres com cargos executivos, 100% independente financeiramente, ótima formação acadêmica, empoderadas de seus corpos, livres, comilonas, mas muito machucadas pelos homens e com muito medo de viver novos relacionamentos.

E a minha questão é essa: como desapegar das experiências de violência que vivemos e que determina muitas de nossas atitudes futuras? Não acho que não devemos observar, pelo contrário, infelizmente, homens agressores tem sido o “normal”, não a exceção, então muitas mulheres que foram vítimas de violência se fecham e começam a procurar indícios de possíveis atitudes de agressores e para evitar agressões futuras. Acho que o caminho é esse mesmo, pois precisamos saber aquilo que queremos e aquilo que não queremos, e acho que é importante saber que não queremos mais ser agredidas por machistas de plantão.

Posso falar por mim, não lido muito bem com homens machistas, não tenho paciência e sou tolerância zero com possíveis agressores. Isso não quer dizer que eu não tenha compaixão pelos seres, até tenho, mas não vou permitir que me agridam. O problema é quando em nome desse medo, nos fechamos, completamente, para novas relações. Veja, não estou dizendo que é necessário ter uma relação com alguém para sermos felizes, só que também não devemos achar que todas as pessoas da face da terra são agressores. Acho que faz parte do processo daquilo que vivemos ter medo, mas não precisamos ser dominadas pelo medo.

Falar é fácil, pois quanto mais olhamos, mas vemos agressores e não é paranoia não, vivemos em uma sociedade super machista e reproduzimos modelos hetenormativos e violentos. Um casal LGBTT também pode reproduzir esse modelo, incluindo de violência. Mas estou me referindo a mulheres heterosexuais/cis, embora acho que tudo pode ser transplantado e adaptado.

Nós mulheres vivemos pressionadas para “termos alguém em nossas vidas”, como se só tivéssemos algum valor se encontrarmos um parceiro, é muito comum ouvir que quem muito escolhe será escolhida ou que é melhor agarrar o primeiro que encontrar do que ficar só. Acho isso assustador, pois não precisamos de ninguém para sermos felizes e não somos menos por não termos um parceiro, até porque a maioria dos homens que vejo por aí não são parceiros, são agressores. Isso é sério, sem piada, homens aprendem a ter um comportamento egoísta e agressor, fazendo o possível para diminuir as mulheres, fazem do terror e da violência doméstica o usual. Olhando para minha vida, só lembro de um namorado que não tenha sido violento comigo e olhe que sou o raio da siribibila, tenho muita compaixão, mas não quero agressor perto de mim, indico terapia, psiquiatra, pois acho que é necessário tratamento, mas não preciso virar enfermeira de macho agressor, básico.

Acho que é possível se relacionar sabendo quais são os seus limites e não permitindo ser violentada em nome de um medo de ficar só, para isso é super importante nos desapegarmos das experiências que vivemos, soltar o sofrimento e seguir com a vida, mas pronta pra dar um tome na monte de machinho que tente tirar onda, lógico, mas nem todo homem é agressor e nem todo relacionamento precisa ser complicado assim, até porque não existe um modelo de relacionamento. Meu desejo é que os homens agressores conseguissem ter a lucidez de perceber que esse ciclo de violência não leva a nada, só ao sofrimento e destruição. A grande maioria das mulheres que já conheço me relataram algum momento de violência e muitas delas têm consciência de que viveram violência. Isso é assustador! Meu desejo é que sejamos felizes, livres de sofrimento.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: