Variedades Femininas

Aqui se fala do universo feminino

Sobre hospital de rico: endometriose, favela e saúde pra todxs

Essa semana refleti muito sobre o atendimento dos hospitais de rico aqui de São Paulo, conhecendo novos e analisando o tratamento. Esse post não tem como objetivo falar mal do PT e do SUS, acho bom avisar: doidos de plantão podem ir ler um outro texto.

Quando  falamos de hospital de rico automaticamente surgem as críticas ao SUS. Quero deixar meu posicionamento bem claro: Não sou contra o SUS,  percebo muitas qualidades em nosso sistema. A principal delas é a sua existência, a possibilidade de que qualquer pessoa seja atendida em hospitais brasileiros, que não precisem escolher entre seus dedos acidentados qual terá que implantar. – Escolher entre os dedos é uma realidade Norte-Americana, um país que vive sérios problemas em relação a saúde da população. – Fui atendida em um PS do SUS em julho em Santo André, pois estava ruim demais e não tive a menor coragem de enfrentar o atendimento ruim e demorado do “melhor hospital de Santo André”, foi  bom, fui bem atendida no SUS

Nas minhas muitas idas ao hospital acabava indo pro PS precário da Unimed, mas que atendia mais rápido. Como sempre preferi hospital perto de casa, quando morava na Vila Mariana ia no SEPACO e era ok. Esses que citei, são típicos hospitais de classe média, de uma classe que possui uma grande parte de ressentidos e metem o pau nas políticas sociais, mas são massacrados nos planos de saúde com laboratório super lotados e atendimento confuso. Uma parte desse grupo se sente muito feliz de não ter que se misturar no SUS.

Eu não tenho o menor problema de ir no SUS, não tenho medo de gente, pelo contrário, gosto de gente, mas apesar de reconhecer que temos hospitais de referências no SUS, incluindo para tratamento feminino, não são suficientes para minha pauta, que é da portadora de endometriose, entretanto, essa é uma luta de reconhecimento geral, tanto no SUS quanto nos planos de saúde. O governo tem feito projetos abrangentes e emergentes, a contratação dos “mais médicos” foi uma felicidade. Só acho que a necessidade básica não exclui a especializada em endometriose, mas acho que são caminhos, opções, sou otimista, espero que a endometriose entre em muitas futuras pautas do governo.

Voltando ao tema de hospital de rico, uma fatia da classe média insana repele e tem nojo dos pobres, como se pobre por merecimento devesse ficar doente e passar fome, um povo incoerentre que critica o bolsa família, mas vive de pensão vitalícia do pai e seus filhos se sustentam com bolsas de mestrado e doutorado e olhe-lá! Qualquer bolsa que promova o crescimento dxs cidadxs deveria ser é ampliada, mais prouni, bolsa família, bolsas de mestrado e doutorado… Essa é uma das formas do país crescer, estimular a população.

Enquanto a classe média se agarra as migalhas, a classe rica, realmente, recebe um tratamento diferente e nas pequenas coisas, você vai fazer um exame no Sírio Libanês e tem vaga para o dia seguinte, não precisar ficar meses pra arrumar uma vaguinha pelo plano de saúde. Se o exame tiver algum preparo, eles montam um kit de medicações e instruções pra você. Existe também a possibilidade de se internar no hospital e passar o preparo do exame com cuidados médicos – e a hospitalidade do Sírio é boa. Os profissionais são extremamente gentis, todos. Perguntei se a enfermeira gostava de trabalhar lá, e me disse que sim, então aproveitei para fazer o meu discurso sobre o uso de materiais no sus, que não é necessário ficar usando um acesso estragado só para economizar.

Ela me disse que é verdade isso, trabalhar no sus é legal, tem hospitais que tem tudo, as mesmas marcas do Sírio, mas tem outros locais que não tem nada. Comentou que a diferença era o público, percebi que ela gosta mais do público de classe média alta que frequenta aquele hospital, como se trabalhar perto de rico desse algum status – não preciso me alongar…  Achei atendimento lá e no nove de julho ótimos, não tem filas, parece ter muito funcionário pra pouca gente sendo atendida. As equipes médicas que tive contato foram ótimas, equipamento de exames novos e toda a parte de conveniência deliciosa, tive vontade de levar o roupão pra casa, não levei, mas me imaginei ahazando com ele aqui na minha casinha ultra fashion.

Escrevi, escrevi, escrevi… Para dizer que acredito no SUS, espero que os hospitais melhorem, que o mais médicos invadam a geral, pois não dá é pra deixar a população desamparada, Acho que as coisas ocorrem aos poucos, aos processos, mas no fim gostaria de hospitais com o nível do Sírio Libanês, do 9 de julho também. O Einstein ainda não testei.

Acho super válido hospitais como o Sírio, atendimento bom, mas achei as pessoas simpaticas demais e com grande necessidade de me chamar de senhora, mesmo depois que pedi para não chamar. A equipe de enfermagem achou que eu tinha 20 anos, então sou senhora porque? Se estou lá tenho grana e devo ser tratada como senhora e dona? Eu quero um atendimento top desse pra população toda e gostaria de modelos de hospitais mais humanizados, acho que isso falta no nosso país. Suprir as necessidades básicas, como médicos para os locais mais distante e montar um belo de um projeto político para o nosso país, é algo que acredito estarmos no caminho. Mas e a portadora de endometriose? Os planos de saúde cada vez têm menos especialistas, nem sempre cobrem a cirurgia. O SUS tem poucos hospitais de referência que atendam as portadoras e são muito localizados. Precisamos de um mais médicos da endometriose.

Algumas poucas pessoas já me acusaram de ser elitista, acho que não preciso participar de concurso de miss favela pra provar que eu me solidarizo a minha maneira -Olha a irônia e a crítica ao machismo-. Já ouvi críticas ao meu gosto estético, elitista demais, não me misturo. Não tenho a necessidade de responder nada, mas acho que é uma bela provocação pra refletir, pois cada um olha pro mundo de uma forma peculiar. Acho que o problema é o preconceito com a favela, achar que favela é sinônimo de definhamento cultural e intelectual, de povo coitadinho que precisa ser protegido. O povo da favela, da periferia é forte! E juntos temos que  tomar SP, circular nas ruas, invadir as atrações culturais e levar pessoas pra favela, pra periferia, porque acredito na mistura. Porque não deveria existir lugar de rico ou de pobre, deveria ter locais transcendidos. Acho que a favela deveria estar mais para um não lugar, um lugar livre.

Quando eu era mais nova montei uma associação musical em Paraguaçu Paulista_SP, ideia minha e trabalho meu, e que foi expandido pro coletivo. Dei aulas de canto e fiz preparação e produção musical para montagem dos nossos espetáculos, com pessoas cantando árias de ópera, a grande maioria nem sabia o que era ópera e foi umas das experiências mais profundas que vivi. As vagas eram abertas para pessoas de todas as idades e classes sociais, e essa foi a maior rykeza, uma cidade que alimenta tanta segregação social, se misturando, filho de pobre e de rico tomando o teatro municipal da cidade, sendo o que eles são, iguais.

Acho que saúde é tudo, sáude é cultura, escola e alimentação. Saúde é direitos. Por isso desejo para  esse país: hospitais humanitários e os pobres invadinho esses hospitais que todos sabem os nomes, os chamados hospitais de rico. Não quero mais lugar de pobre ou de rico, quero lugar para todxs! Acho que seria lindo todo mundo tomando seus espaços no Sírio Libanês, saúde deve ser do povo, todo mundo igual, todo mundo bonito e confortável. Saúde popular, saúde comunitária.

Deixe um comentário »

Médicos cubanos: o buraco é bem mais embaixo

Na segunda-feira, 26 de agosto de 2013, “Os 95 médicos estrangeiros que iniciaram nesta segunda-feira (26) o treinamento do programa Mais Médicos em Fortaleza foram hostilizados por cerca de 50 profissionais cearenses da área que faziam uma manifestação na entrada da Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP-CE), no Meireles. O alvo do protesto era o grupo de 79 médicos de Cuba que farão o curso. Na saída, os estrangeiros e as autoridades foram vaiadas, xingadas e provocadas pelos manifestantes. ” (RIBEIRO, 2013). Lógico que me senti muito envergonhada, como assim xingar esses médicos? Olhem a barbárie no vídeo abaixo:

Agora que já estamos atualizadas com os acontecimentos, podemos refletir um pouco sobre.O primeiro ponto  é que não são só cubanos que participarão deste programa, são pessoas de vários países, e o segundo é que não tem lógica de se opor a contratação de médicos estrangeiros que vão ocupar postos que não são preenchidos por médicos brasileiros. Se as vagas são abertas, mas não tem gente que tope trabalhar em bairros da periferia e cidades distantes, vamos fazer como, deixar o povo morrendo sem médico? Isso é algum tipo de piada?

Tem todo aquele argumento de que trazer médicos estrangeiros não resolve o problema da saúde, que precisam equipar os hospitais, pagar melhores salários… blá, blá, blá… isso é óbvio, mas pra que esse processo seja iniciado precisamos começar de algum local, e acho muito pertinente que seja contratando médicos para locais que não tem médico algum. É muito fácil pra quem não precisa do SUS, que não mora em uma periferia braba, que tem plano de saúde, ficar reclamando da vinda desses médicos, mas é uma tremenda sacanagem, pois tem gente doente sem ter acesso a tratamento, pois NÃO TEM MÉDICO! Já os médicos que reclamam, a solução seria essa galera parar de reclamar e ir trabalhar nos locais distantes, mas não querem fazer isso e nem que outros profissionais assumam esses postos, ou seja, querem ver gente morrendo. Que lindo!

Hoje, a presidenta Dilma deu o seguinte depoimento: “É um imenso preconceito sendo externado contra os cubanos. É importante dizer que os médicos estrangeiros, não só cubanos, vêm ao Brasil para trabalhar onde médicos brasileiros formados aqui não querem trabalhar” e é isso mesmo, como assim que tem gente reclamando que teremos médicos em locais que estão faltando? Agora, na minha opinião, essa celeuma com os médicos cubanos não são só porque os médicos estrangeiros… blá blá blá… isso tudo está ocorrendo por dois motivos, o primeiro é que são cubanos e o segundo é por racismo, afinal, a grande maioria desses médicos são negros.

Todo mundo que lê o meu blog sabe que fico fula da vida com racismo, quebro o pau mesmo, e essa história me deixou muito irritada. Não sei se vocês ficaram sabendo, mas teve uma jornalistinha que publicou no twitter comentários racistas sobre as médicas cubanas, dizendo que elas tinham cara de empregada doméstica. Depois dessas declarações, o sindicato das domésticas afirmou que vai processá-la e eu espero que isso ocorra mesmo, pois RACISMO É CRIME! E racista merece cadeia! Sou bem Datena neste aspecto (risos)

O outro motivo do preconceito é que são cubanos, já vi até umas criaturas falando por aí que esses médicos são infiltrados, que virão ao Brasil pra promover uma revolução comunista. Acho que este tipo de balela nem merece ser comentada, pois a burrice começa quando afirmam que Cuba é um país comunista, que não é, óbvio, é um país socialista, tem uma diferença gigantesca nisso. A outra é que os médicos cubanos trabalham no mundo inteiro e não vemos um monte de países comunistas por aí,  mas devem estar escondidos, certo? (risada alta) LOL. Agora pra finalizar este texto, deixo um link de uma reportagem da revista Veja falando da maravilha que seria os médicos cubanos vindo pro Brasil no governo Fernando Henrique. Opa, peraí, no governo de Fernando Henrique era bom, mas agora é ruim? Na minha terra chamamos isso de desculpa de amarelo é comer barro!

Deixe um comentário »

FOLHA X FALHA: A morte da liberdade de expressão

Hoje acordei receosa com os rumos que o nosso país tem seguido, no meu entendimento, o julgamento da Folha de São Paulo X Falha de São Paulo era um dos indícios desse momento direitoso que estamos vivendo, com pessoas dizendo que na época da ditadura tínhamos mais segurança e outras chamando a época de “ditabranda”. Infelizmente, é um período de crescimento de movimentos de direita, tem jovens pedindo a volta do Arena, “poderosos” integrando o Instituto Milennium e uma imprensa metida a golpista (só metida?).

O julgamento contra a liberdade de expressão veio em um momento chave, de Yoanís de mãos dadas com Bolsonaros, Malafaias “curando gays” e imprensa criticando diminuição da conta de luz, crucificando mensalão do PT e escondendo mensalão do PSDB.

Então, levantei e fui assistir ao julgamento, que apesar de tudo que escrevi acima, ainda me restava alguma esperança, mas o que vi foi um show de horror! A advogada da Folha dizia que se tratava de um caso de uso indevido da marca (então, né?), que os leitores poderiam ser confundidos, poderiam achar que a Falha era a Folha (Ok, somos todos burros mesmo!!). A grande cereja do bolo foi a insinuação de que a Falha tinha ligações com a revista Carta Capital, pois existia um link no site… (Sim, somos muito burros!!)

Imagem tirada daqui: http://www.jagostinho.com.br

O defesa dos réus não se intimidou e  continuaram firme, fortes, afirmando que não se tratava de um caso de uso indevido da marca, mas de CENSURA. O desembargador, que deve ser um grande gênio (acordei gentil), ignorou o argumento da defesa e afirmou que os réus estavam equivocados, o caso não era um atentado a liberdade de expressão, e sim uma questão de propriedade privada, uso indevido da marca. (capitalismo, liberalismo, propriedade privada…)

Sim, somos bobos, não sabemos a diferença! Imagem tirada daqui: http://fernandonogueiracosta.files.wordpress.com

Ok, ok… Acho que tem muita gente pensando que somos imbecis! Desde quando fazer paródia é plagiar uma marca? O objetivo da Falha de São Paulo era fazer comédia, uma paródia e ainda mostrar que de apartidária a Folha não tem nada. Percebam, a Folha sentiu o seu discurso atacado, e usou argumentos fajutos para tirar o site do ar, usou a força bruta e a diferença entre uma empresa grande e pessoas físicas para fazer valer a sua vontade. O mais curioso é que quando a MTV (aquela emissora de TV) fez uma paródia semelhante no programa comédia, usando a mesma logomarca da Falha de São Paulo, não foi processada.

Imagem tirada daqui: http://3.bp.blogspot.com

Para tudo! Como assim? Dois pesos e duas medidas? Ahhh Mas não vamos perceber isso também, como não percebemos a diferença entre um jornal porqueira que é a Folha e uma paródia deliciosa que é a Falha. A Falha é aquilo que desejamos, um suspiro no meio dessa nojeira que estamos vivendo.

Para saber mais sobre o caso:

A Falha de São Paulo foi um blog criado pelos irmãos Mário e Lino Bocchini, era uma paródia do jornal Folha de São Paulo. Por meio de uma liminar, o jornal suspendeu o domínio e conteúdo do Blog em setembro de 2010, caso o site não saísse do ar, seria aplicado uma multa diária de mil reais. Fora a liminar, a Folha de São Paulo abriu um processo contra a Falha, pedindo uma indenização por danos morais e alegando uso indevido da marca. Agora o detalhe mais básico: o termo “Falha de São Paulo” não foi criado pelos irmãos, o cantor Caetano Veloso, por exemplo, já o usa há alguns anos.  Vai processar Caetano, Folha?

Acesse o site “Desculpe a Nossa Falha” e conheça maiores detalhes sobre o caso.

Deixe um comentário »

Presidenta Dilma Rousseff faz discurso na abertura da Assembleia-Geral da ONU

Hoje, dia 21/09/2011, ocorreu um fato histórico, pela primeira vez uma mulher faz o discurso de abertura  que abre o Debate Geral da 66ª Assembleia-Geral da ONU, em Nova York. E quem foi essa mulher? A nossa presidenta Dilma Rousseff. Que orgulho para o nosso país!

Deixe um comentário »

Bombeiros do RJ: greve, prisão e humilhação.

Os bombeiros do Rio de Janeiro estão em greve, lutam por melhores salários, eles recebem R$ 1013,00 de salário bruto, com os descontos restam menos de mil reais para arriscar as suas vidas, proteger as nossas e sustentar as suas famílias; se não bastasse o grande desrespeito que sofrem com esse salário de miséria, depois de uma manifestação no qual foram “atacados” pelo BOPE, 436 bombeiros estão presos no Rio de Janeiro.

Sempre fico chocada com os absurdos desse país, pagam uma miséria a professores e bombeiros, enquanto o salário para quem concluiu o ensino médio e trabalha em um emprego burocrático em órgãos públicos tipo INSS, é quatro vezes maior do que os salários de cargos essenciais para a nossa sobrevivência em sociedade; não estou defendendo que baixem esses salários de empregos públicos, mas que paguem um valor merecido aos professores, bombeiros, policiais… Que tal 10 mil reais de salário inicial para um bombeiro ou um professor de escola ensino fundamental e médio.

Acho um absurdo tratar como criminosos os homens e mulheres que nos protegem diariamente, que salvam as nossas vidas. Prender bombeiros e os atacar com bombas de “efeito moral” é um absurdo. Esses profissionais são humilhados com um salário de fome todos os dias e ainda não podem protestar contra o absurdo que são submetidos? Palhaçada mesmo!!

Eu e – tenho certeza disso – a maior parte da população desejamos salários dignos aos bombeiros e que esses nossos heróis sejam soltos, que o governo vá se preocupar em prender os criminosos, essa sim é a obrigação deles.

5 comentários »

Escândalo do banqueiro

Causou espanto em todo o mundo a prisão do banqueiro Dominique Strauss- Kahn, devido ao seu suposto envolvimento com uma camareira de hotel, o qual foi denunciado como tentativa de estupro, em Nova Iorque, nos EUA. Além de banqueiro milionário, o acusado era diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI) e pré-candidato à presidência da França.

Mas depois de toda essa história macabra, será que tem algo bom? Para mim sim, independente das especulações ou de quão rico o Sr. Dominique seja, uma camareira de hotel teve pulso suficiente para denunciar uma tentativa de estupro.

Nesse mundo, ainda machista, que nós vivemos, nem sempre mulheres são levadas a sério quando o assunto é estupro ou qualquer tipo de abuso de ordem sexual, pois para muitos homens a culpa é sempre da mulher.

Bom senso é sempre bom e nesse sentido, mesmo que a mulher esteja pelada no meio da rua, não é uma justificativa para que qualquer homem toque nela.

Temos que seguir o exemplo da camareira e denunciar sempre!

Deixe um comentário »

Mulheres na Presidência da República!

Estamos a uma semana das eleições para a escolha do próximo presidente (a) da república e, pela primeira vez na história deste país, temos não apenas uma, mas duas mulheres concorrendo ao cargo máximo da nação. As candidatas do PT, Dilma Rousseff e do PV, Marina Silva, devem fazer o orgulho das mulheres, pois conseguiram se sobressair em um meio tradicionalmente dominado há decênios apenas por homens.

Não que homens sejam piores ou melhores que as mulheres na politica, mas um pouco de diferença é bom para complementar não apenas as relações, mas também os governos.

A imprensa está muito pessimista com esta eleição de 2010. Eu, ao contrário, estou bastante otimista. Vejo com bons olhos as mulheres-candidatas, acho que são capazes de lidar com os novos paradigmas da intersubjetividade no séc. XXI, de coordenar projetos e de lidar com pessoas de maneira mais humana.

O futuro é das mulheres!

2 comentários »

Razão, Ética e Política

Nos posts anteriores tratei sobre questões ligadas ao ser humano, tais como, dificuldades de lidar com mudanças ou temas ligados a gestão e liderança que fazem parte nas nossas conquistas profissionais e do mundo corporativo. Hoje resolvi tratar brevemente – utilizando conceitos do filósofo grego Aristóteles – de temas tão presentes no nosso cotidiano e tão questionados principalmente em ano de eleições políticas.

Na obra de Aristóteles, há uma estreita relação entre a razão, a ética e a política.

A razão é a faculdade que permite ao homem ponderar acerca do bem, porque não se pode atingir o bem nas ações sem que se passe pela reflexão mediada pela racionalidade.

No início de sua “Ética a Nicômaco”, o mestre dos peripatéticos chega à definição de Ética como a dimensão humana que “ é perseguida  pelo bem”, e não apenas a que o persegue.

As boas ações, nesse sentido, confluem para a definição do conceito de ética, portanto, disso depreende-se a estreita relação entre ética e razão na obra de Aristóteles, pois somente passando pelo crivo da racionalidade pode o homem agir no sentido ético, deixando assim que o bem o “persiga” e direcione suas ações.

A dimensão política, por sua vez, nada mais é para Aristóteles do que o exercício público da racionalidade e da ética, ou seja, o homem sendo justo e bom com si mesmo, cultivando em seu caráter as boas virtudes, logo, na administração da polis, irá ampliar essa atuação em benefício da coletividade.

É muito comum a lembrança, por vários estudiosos de todas as partes do globo, da concepção aristotélica de que “o homem é um animal político”, pois para o pensador grego o que diferencia o homem dos animais é justamente o exercício da razão na esfera pública – o que denomina por práxis política. Dessa forma, surge o entendimento de que o homem é a única criatura capaz de ter uma atuação diferenciada e se organizar em sociedade, graças à estreita relação entre ética, política e racionalidade, essas características que melhor definem o ser humano, de acordo com o autor.

Deixe um comentário »